Entenda a Bolsa de Valores rapidamente

Você sabe como funciona a Bolsa de Valores? Sabe como investir na Bolsa de Valores? Essas parecem trajetórias tortuosas, mas que são bem mais simples do que imaginamos. Vamos entender melhor o assunto nesse artigo.

O que é?

Em resumo, a Bolsa de Valores é a instituição que organiza o mercado de ações. Trata-se de um ambiente de negociação onde investidores podem negociar títulos emitidos por empresas. É quando uma companhia quer levantar dinheiro vendendo papéis. Contudo, esse processo precisa ser intermediado por corretoras.

Quais são as vantagens?

De fato, investir na Bolsa de Valores em 2019 tem seus riscos. Afinal, o país vive momentos de instabilidade. Todavia, nenhum outro investimento no mercado pode gerar tanta possibilidade de ganhos quanto o mercado de ações. Se você ainda tem dúvidas sobre apostar nesse meio, enumeramos algumas vantagens:

  • Segurança

Mesmo com as  transações sendo feitas através de uma corretora de valores, você não perde seu dinheiro investido de forma alguma. Inclusive se a corretora vir à falência. Isso porque seus títulos são protegidos pela CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia). A Bovespa Supervisão de Mercados garante a segurança do seu capital, afinal, o sistema oferece um benefício denominado MRP – Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos. Ou seja, se a corretora realmente falir, esse fundo tem uma garantia de até R$ 70 mil.

  • Comodidade

A negociação dos títulos pode ser toda feita de forma online, ou seja, será preciso apenas de um computador, um notebook ou um smartphone e um acesso à internet. Depois de fazer uma conta em uma corretora, você terá acesso ao Home Broker, onde são feitos os investimentos. Nele, são oferecidas análises gráficas com a situação das empresas e as oscilações do mercado.

  • Acessibilidade

A Bolsa de Valores está ao alcance de todos. Dependendo do caso, com apenas R$ 100, você já pode comprar ações sem a necessidade de fazer mais depósitos mensais. Atualmente, mesmo com a crise econômica, é possível ser um investidor de sucesso com as taxas de juros facilitadas e métodos comprovados.

  • Rentabilidade

Talvez a vantagem mais atraente para se investir na Bolsa de Valores em 2019, visto que a mudança de governo e a expectativa de aprovação de reformas traz fôlego para uma economia em crise. Além disso, a volatilidade do mercado é grande, mas sabendo lidar, é possível viver disso e ter grandes lucros. Entretanto, é preciso ter uma disciplina às operações e estudar bastante o setor.

Onde investir?

Como o objetivo é ter lucro, precisamos adquirir ações por um valor baixo e vendê-las por um preço mais alto. Então, temos que ser precisos nessa escolha e saber exatamente qual ativo comprar e decidir a melhor forma de vender.

Algumas empresas podem garantir um bom retorno na Bolsa de Valores em 2019. Há, por exemplo, um movimento de privatizações que devem fazer algumas estatais entrarem em um viés de altas, como Petrobras, Eletrobras, Cemig e Banco do Brasil. São apostas praticamente certeiras que farão a sua conta bancária ser mais polpuda no fim do ano.

Qual é a rentabilidade?

A rentabilidade da Bolsa de Valores é bem variável e depende de fatores internos e externos. As formas de lucrar com ações vão além da diferença entre o preço na compra e na venda delas. Por mais incrível que pareça, mesmo diante de um cenário interno apreensivo com as eleições e com o cenário externo turbulento, o desempenho da bolsa brasileira em 2018 foi o melhor entre os principais índices do mundo.

Pelo terceiro ano seguido, o Ibovespa encerrou em alta, tendo uma valorização de 15,03%. Em 2016 e 2017, o Índice Bovespa já houvera registrado ganhos de 38,9% e 26,86%, respectivamente. O pico da Bolsa, entretanto, ocorreu em 20 de maio de 2008, quando o Ibovespa alcançou 124.269 pontos.

Entretanto, 2018 foi marcado por muita volatilidade na rentabilidade das ações. Em janeiro de 2018 a Bolsa chegou a cair 20%. Por outro lado, este ano, os analistas estão otimistas com a expectativa de retomada do crescimento econômico, aprovação das reformas estruturais, privatizações e manutenção dos juros baixos. Segundo os especialistas, isso cria um ambiente favorável para novos investimentos e altos retornos.

Valor mínimo a investir

Não existe um valor mínimo para investir na Bolsa de Valores. O que há, de fato, são opções adequadas para todos os tipos de investidores. Além do preço do ativo, devemos levar em conta outros fatores.

As ações, por exemplo, são negociadas em lotes, e cada lote é equivalente a 100 ações. Ou seja, se o título que você pretende comprar custa R$ 1, você vai gastar R$ 100. Tudo bem. Também é possível comprar lotes fracionados, que permitem que pequenos investidores consigam entrar na bolsa. Entretanto, a liquidez deles é menor e o spread (que é a diferença entre o valor da de compra e venda) é maior.

Prazo de Investimento

Saber como funciona a Bolsa de Valores é sempre uma incógnita. Como dissemos anteriormente, depende muito de diversos fatores. O prazo de investimento para obter grandes lucros, normalmente, é longo, mas, sabendo como investir na Bolsa de Valores, isso pode variar bastante. Vai depender da sua estratégia e da modalidade de investimento escolhida. Confira:

  • Day Trade: onde os investimentos são curtos, com prazo de poucos minutos, no máximo algumas horas;
  • Curto Prazo: o investimento dura entre 1 dia e 2 semanas;
  • Longo Prazo: é o que costuma gerar mais lucro, onde o investimento pode durar de semanas até anos.

Custos

Agora que você já sabe como investir na Bolsa de Valores, chegou a hora de descobrir quanto custa essa “brincadeira”. São basicamente taxas necessárias a serem pagas. Conheça:

  • Taxa de Corretagem: é a taxa cobrada pela corretora quando você realiza uma compra ou venda de ações. O pagamento é feito por cada transação. Ou seja, se caso você resolva comprar ações e vendê-las logo em seguida, vai pagar duas taxas de corretagem.
  • Taxa de Custódia: essa taxa é cobrada pela Bolsa de Valores para guardar suas ações. Existem, no entanto, algumas corretoras que já pagam esse valor para o investidor.
  • Emolumentos: essa é uma taxa que consiste em uma porcentagem sobre o preço negociado na negociação de ações.
  • Tributação: o Imposto de Renda incide apenas sobre os lucros. Com isso, seu prejuízo pode ser deduzido. A taxa de IR sobre as operações de Day Trade é 20%. Já sobre as demais operações, é de 15%.

Quais são os riscos?

Quem ainda não sabe como investir na Bolsa de Valores precisa saber que existem pelo menos dois riscos principais. Entenda:

  • Desvalorização: da ação escolhida não se desvalorizar e você perder dinheiro;
  • De liquidez: é quando você não consegue encontrar compradores dispostos a comprar o título que pretende negociar.

Então, agora que você já sabe como funciona a Bolsa de Valores, que tal investir no mercado de ações? Chegou a hora de ser um investidor da Bolsa de Valores em 2019.