Come-cotas: entenda como funciona o terror dos investidores

Uma grande preocupação de todo investidor é buscar o máximo de rendimento e o mínimo de taxas e juros para a aplicação de seu capital. Muitas vezes, algumas cobranças regulares em investimentos parecem um problema maior do que realmente são.

Infelizmente, o oposto também é verdade. Existem situações em que o investidor não dá importância a detalhes que acabam sendo a causa de muitos prejuízos. Conhecer bem sobre investimento recorrente, taxas de juros, pagamento de impostos e outros elementos é, então, essencial.

Entre os elementos pouco conhecidos e que podem impactar muito o rendimento de uma aplicação está o come-cotas. Acompanhe o texto para descobrir tudo  que precisa saber sobre essa cobrança associada a investimentos e saiba como tomar as melhores decisões para aplicar seu capital.

O que significa come-cotas?

Esse termo, que de cara já assusta e não parece nada simpático, é o nome que se dá ao um recolhimento antecipado do Imposto de Renda (IR) em alguns tipos de investimento. A antecipação ganha esse nome por abocanhar uma parte da cota dos fundos.

O processo é semestral, ocorre no último dia dos meses de maio e novembro, e se foca no imposto retido na fonte. Por isso que não atinge todos os tipos de investimento. Assim, no extrato dos investimentos o investidor vê uma redução no número de cotas correspondente ao percentual do imposto sobre os rendimentos.

O tamanho da antecipação que o come-cotas causa varia, sendo sempre referente à menor alíquota de IR de cada fundo investido. Em média, a porcentagem é de 15% para fundos de longo prazo e 20% para os de curto.

Descrevendo assim, parece até um valor baixo e inofensivo, porém, na verdade os impactos no rendimento a longo prazo podem ser muito grandes. Fundos que rendem com juros sobre juros tem um ganho muito menor do que poderiam ter sem esse desconto.

Como funciona o come-cotas?

Como já comentamos, o funcionamento dessa antecipação ocorre a cada seis meses. Ela é automática e não depende do investidor para acontecer. Assim, quando chegar a data do recolhimento de impostos retidos na fonte, o percentual cobrado simplesmente não estará no extrato. É provável até que você leve um tempo até se lembrar do porque está faltando o valor.

Para não tomar sustos e decidir da melhor maneira possível como fazer seus investimentos é importante conhecer alíquotas associadas a essa antecipação, quando são cobradas e em quais fundos aparece.

Fundos sujeitos ao come-cotas

Existem diversos fundos que estão sujeitos à antecipação de importo de renda, tanto entre os de curto prazo quanto entre os de longo. Confira os principais.

Fundos de renda fixa

São fundos realizados com títulos pré ou pós-fixados, ele permite investir em títulos do tesouro, debêntures, letras de crédito e CDBs.

Para ser um fundo de renda fixa é obrigatório que, no mínimo, 80% da carteira seja de títulos do Tesouro Nacional. Possuem rendimento mais baixo e risco reduzido, sendo um investimento mais conservador.

Fundos multimercado

As aplicações são feitas em ativos variados, podendo ser nacionais ou internacionais. Essa abertura de possibilidades faz com que seja um investimento mais arrojado, com maiores chances de rendimento e altos riscos.

Fundos cambiais

Aqui o rendimento é conseguido com aplicação de capital em ativos associados a moedas estrangeiras, sofrendo grande interferência das mudanças nas taxas de juros.

Normalmente, são fundos estratégicos, utilizados como forma de proteger investimentos no exterior, mas podem gerar lucro com a valorização da moeda investida.

Fundos DI

Acompanham a variação do CDI, sendo caracterizados por investimentos em títulos públicos ligados a Selic. É um fundo que oferece liquidez diária e baixo risco.

Fundos que não sofrem essa antecipação de recolhimento

Alguns fundos previdenciários não sofrem com o come-cotas, são aqueles que são isentos de IR ou que tem sua cobrança apenas no momento do resgate. São fundos muito procurados não só pela ausência da antecipação, mas por terem a taxa de imposto fixa em 15%.

Entre os principais exemplos estão:

  • Ações.
  • Previdência.
  • Debêntures incentivadas.
  • Fundos de Investimento Imobiliário.

Alíquotas do come-cotas

As alíquotas dessa antecipação são de 20% sobre o rendimento de fundos de curto prazo, 15% no caso de fundos de longo prazo, como já mencionamos.

É importante destacar que a compensação dessas alíquotas é feita com base no tempo de investimento já decorrido até o momento do resgate.

Quando dizemos que ela é cobrada dos rendimentos, o que queremos dizer é que incide apenas sobre os lucros do investimento. Não se preocupe, o cálculo não é feito com base no capital total investido.

Quais são as alíquotas de IR nos fundos de investimento

Existe uma tabela pré-definida regressiva para a cobrança de IR de acordo com o valor total de aplicação para cada fundo de investimento que é feito. Geralmente     , os valores da alíquota não ultrapassam um máximo de 22,5% e não podem ser menores do que 15%.

No entanto, quando analisamos fundos com come-cotas, a situação se altera um pouco. Como é uma antecipação do recolhimento, a alíquota será referente apenas ao período de seis meses, tendo a tributação fixa de 20 ou 15%, dependendo se é um fundo de curto ou longo prazo.

Essa porcentagem só se altera caso o resgate dos valores do fundo seja antecipado em relação ao tempo total do contrato da cota. Nesses casos, a diferença do valor da alíquota é calculada considerando o tempo total da aplicação, não o tempo decorrido até o resgate.

Come-cotas e o investidor

O come-cotas é apenas um dos muitos exemplos de porque os investidores devem sempre estar atentos aos detalhes dos fundos nos quais investem. Existem muitas variáveis que, se não forem pesadas de acordo com objetivos, capital disponível e estratégias, podem prejudicar muito o rendimento.

Em um primeiro momento, o primeiro instinto é fugir de fundos onde essa antecipação acontece. No entanto, existem diversas possibilidades de rendimento nesses fundos que aqueles que estão livres dessa antecipação não oferecem.

Tomar a melhor decisão, então, depende de conhecer bem os tipos de investimentos e decidir pela melhor estratégia para o objetivo, com ou sem      come-cotas.

Gostou do artigo? Acesse o blog da Onze Investimentos e fique por dentro de outras dicas úteis para aumentar a rentabilidade do seu investimento.