Confira nossas dicas para ficar rico e mude de vida

Acho seguro dizer que ficar rico é o objetivo de muitas pessoas. Afinal, quem não quer ter dinheiro a disposição para realizar todos os seus sonhos?  Mas a crença do que significa chegar à riqueza (e principalmente mantê-la) talvez seja um tanto desencontrada da realidade.

Ao analisar a biografia de investidores que atingiram o sucesso, é possível observar alguns fatores em comum, entre eles: a riqueza não se construiu do dia para a noite. Outro ponto importante é que, via de regra, pessoas ricas estão mais preocupadas em proteger o seu próprio patrimônio do que em acumular mais.

Leia este artigo e veja algumas dicas para ficar rico.

Controle suas finanças

Talvez o mais imprescindível para quem pretende acumular um patrimônio considerável no futuro é tomar consciência da sua própria condição financeira. Afinal, como é possível esperar que seu dinheiro se multiplique se você nem sabe ao certo quanto você tem?

É muito comum o caso de pessoas que nem sequer têm o hábito de acompanhar seus extratos bancários, sendo pegas de surpresa por altos débitos no cheque especial ou na fatura do cartão.

Portanto, veja abaixo algumas dicas para começar a exercer controle sobre sua vida financeira.

  1. Pague suas dívidas.

Atrasos em pagamentos e dívidas acumuladas são os maiores empecilhos para se atingir a riqueza. Muitas pessoas se tornam reféns de suas próprias dívidas, com todo o seu orçamento sendo destinado ao pagamento de juros e outras taxas.

Logo, antes de começar a pensar em se tornar uma pessoa rica, liste todas as suas dívidas e quite uma a uma. Caso pareça impossível pagar tudo de uma vez, é possível procurar opções de refinanciamento e parcelamento das dívidas, de forma que elas não pesem tanto em seu orçamento mensal.

  1. Saiba o quanto você ganha

Um erro comum é considerar o valor do salário como o seu ganho mensal, sem considerar os descontos de tributação, taxas e benefícios. É importante que você tenha uma noção de quais são os seus ganhos líquidos para analisar corretamente o quanto você tem disponível para gastar, o quanto pode guardar e o quanto poderá investir.

  1. Cuide de cada centavo que você tem

 Como dito acima, mais do que se preocupar em ganhar mais dinheiro, investidores de sucesso procuram proteger o patrimônio que já possuem. Isso quer dizer que eles gastam menos do que recebem. Por isso, é importante guardar uma parte do seu dinheiro.

A maioria dos especialistas recomenda que você poupe ao menos 10% do seu ganho mensal. Dependendo da situação, pode ser que a pessoa tenha dificuldades em reservar 10% do seu orçamento, mas isso não pode servir como desculpa para não poupar. Se for difícil guardar 10%, guarde 5%, o importante é não deixar de guardar. E, sempre que possível, tente aumentar essa porcentagem.

Aliás, se está difícil guardar parte dos seus ganhos, será que não é possível rever seus gastos e procurar formas de economizar? Cortar custos desnecessários, comparar preços, cancelar serviços que você não utiliza, limitar o uso do cartão de crédito, entre outras pequenas atitudes que auxiliam a aumentar a margem de dinheiro disponível para poupar.

Tenha planejamento

Ter objetivos é o melhor estímulo para economizar dinheiro. Portanto, liste seus objetivos de curto, médio e longo prazo e pense o que você pode fazer hoje para atingi-los no futuro. Estabeleça também quais as metas necessárias para atingir um determinado objetivo.

Aqui, é importante manter a disciplina e ser rigoroso. Se em algum mês você não conseguiu cumprir uma determinada meta, compense isso no mês seguinte. Quanto mais você se esforçar para cumprir suas metas e objetivos, menor será a probabilidade de você abandoná-los no futuro, evitando voltar sempre para a estaca zero.

Outra dica é não ficar estagnado. De tempos em tempos, é bom revisitar sua estratégia, analisar os seus retornos e verificar se ela ainda faz sentido para você. Caso contrário, talvez seja hora de procurar por uma nova. E é justamente aí que entra a nossa próxima dica.

  1. Estude

O conhecimento é seu maior aliado. Por isso, familiarize-se com as boas práticas do mercado, seus conceitos, como funcionam os investimentos etc.

O mercado está sempre mudando, então, é importante mudar com ele. E a melhor forma de evitar a estagnação é se manter sempre bem informado. Para isso, você pode fazer cursos sobre finanças, ler livros sobre o tema e acompanhar publicações com viés econômico.

  1. Preste atenção na inflação

 É importante que você mantenha o dinheiro que você poupa separado daquele destinado aos gastos do dia a dia. Além disso, nem sempre a caderneta de poupança é a melhor opção para isso! Em contextos de inflação elevada, quando os preços dos produtos sofrem aumentos constantes, o seu poder de compra diminui.

Em 2015, por exemplo, o rendimento da poupança foi inferior à inflação. Na prática, isso quer dizer que quem optou por esse investimento na verdade acabou por “perder dinheiro”.

Para além de elevar o seu patrimônio, os investimentos são uma forma de você proteger o seu dinheiro da inflação. Por isso, algo fundamental na hora de pensar em investir é analisar se o rendimento da aplicação escolhida é superior ao índice de inflação, assim, você estará protegendo o seu patrimônio.

Títulos do Tesouro Selic, por exemplo, são uma boa aplicação para quem está começando. Com ele, você garante um rendimento acima do CDI.

  1. Invista

Em algum momento da sua vida, você já deve ter ouvido falar na “magia dos juros compostos”, a capacidade que esses juros têm sobre os investimentos , fazendo o seu dinheiro render. Entretanto, o que pouco se fala sobre isso é que, para ser efetiva, essa “magia” deve vir acompanhada de tempo e disciplina.

Se você investir uma quantia de R$ 1.000,00 aos 20 anos de idade, em aplicações que tragam um rendimento de 10% ao mês, aos 50 anos você terá à sua disposição a bagatela de R$ 3,5 milhões.

Mas de nada adianta mudar de ideia no meio do caminho e decidir retirar esse dinheiro antes do tempo. 10 anos a menos nesse tipo de aplicação representam, por exemplo, uma perda de R$ 1 milhão. Por isso, é preciso ter disciplina e deixar o tempo desempenhar o seu papel.

Agora, também existe uma série de opções de investimentos com rendimentos maiores, em médio e curto prazo, com menos garantias de retorno, o que também pode ser positivo. Afinal, ninguém se torna um Mark Zuckerberg se isentando completamente de riscos.

Portanto, à medida que o tempo passa, depois que você já estiver familiarizado com o mercado financeiro e tiver mais dinheiro para investir, você pode diversificar a sua carteira, partindo para aplicações com perfis mais agressivos, como aplicações de renda variável ou o mercado de ações.

O importante é ter discernimento e não aplicar todo o seu dinheiro em um único lugar.

Quer conhecer mais sobre o mundo dos investimentos? Então, continue acompanhando os artigos do blog aqui da Onze Investimentos.