Como organizar uma vida financeira estável e alcançar suas metas

Organizar a vida financeira parece um enigma para muitas pessoas. Por isso, não se assuste se você tiver dificuldades em fazer as contas fecharem no azul no fim do mês. É um desafio comum, mas não impossível de se vencer.

Para ajudar você, elaboramos um guia prático para que consiga colocar ordem nas suas receitas e despesas, fazendo o dinheiro render mais. Não se trata de mágica, muito menos de milagre. Com organização e planejamento, vamos mostrar como suas finanças podem se estabilizar e, assim, trabalhar a seu favor.

Se é isso que você busca para uma vida financeira estável, siga a leitura!

O que é uma vida financeira estável?

Por quanto tempo você conseguiria manter seu nível financeiro atual, caso perdesse a sua principal fonte de renda hoje? Você sabe responder a essa questão de cabeça? Se a sua resposta é um “não”, precisa entender o conceito de finanças estáveis.

Conseguir uma estabilidade financeira não quer dizer, necessariamente, ter um salário ou outra fonte de renda fixa. O equilíbrio está em manter um padrão de vida de forma sustentável pelo máximo de tempo possível, sem que imprevistos coloquem tudo a perder.

Em tempos de crises globais e incertezas econômicas, ter uma vida financeira estável pode parecer difícil. Mas, organizando e planejando as contas com cuidado, dá para deixar as finanças pessoais mais saudáveis e equilibradas.

Por que organizar a vida financeira?

Para a gente entender a importância de organizar a vida financeira, vamos começar com a célebre frase: “O que não é medido não é gerenciado”. Ou seja, se você não consegue apurar o quanto ganha e o quanto gasta, não terá a capacidade de descobrir e corrigir possíveis erros na gestão das contas.

Além disso, se o seu orçamento atual é bagunçado, pouco adianta pensar em planejamento futuro, pois as ações vão esbarrar nessa dificuldade. Dessa forma, você pode estar desperdiçando não só os recursos atuais como, também, os futuros. Nesse cenário, vale a pena arriscar o seu bem-estar e o de sua família sem ter reservas para aposentadoria, por exemplo?

Dessa forma, organizar a vida financeira é uma questão de equilibrar suas contas de hoje e do amanhã, buscando melhor qualidade de vida. E, ainda, abrindo espaço para planos de médio e longo prazo com muito mais segurança e tranquilidade.

3 passos para uma vida financeira estável

Um dos grandes “segredos” da vida financeira estável está em saber gastar menos do que se ganha. A conta bate para todo mundo e vale desde quem ganha um salário-mínimo (com as devidas ressalvas) até a quem contabiliza mais de 100 deles no extrato bancário.

Mas só isso não basta, é claro. É necessário buscar novas fontes de renda e, além disso, pensar no futuro. Veja, então, três passos práticos para você conseguir estabilizar suas finanças.

1. Organize as contas

Esqueça o medo de pegar as suas contas, de ver o extrato bancário e de analisar os gastos. As finanças não são, nem devem ser, um bicho de sete cabeças. Por isso, reúna todas as informações que você tem sobre suas receitas e despesas.

São elas:

Fontes de renda:

  • Salários
  • Aluguéis
  • Benefícios
  • Bolsas
  • Rendimentos
  • Rendas-extras.

Fontes de custos e despesas:

  • Moradia
  • Alimentação
  • Transporte
  • Saúde
  • Educação
  • Lazer
  • Roupa / Calçados.

Seja realista na contabilização de todos os números que você apurar. Assim, não superdimensione seus recebimentos e, muito menos, minimize os gastos.

2. Planeje suas finanças

Este é o momento para você organizar a vida financeira e de fazer isso com aquela palavrinha mágica chamada planejamento.

Pegue, então, todas as suas fontes de renda e de despesas. Agora, coloque-as em uma planilha – ou mesmo, no papel. Liste tudo pelos próximos 6 meses, pelo menos.

Neste ponto, você terá uma visão mais esclarecedora sobre a sua saúde financeira no curto prazo. Aqui, você consegue entender um pouco melhor sobre os “vazamentos” de recursos do seu orçamento.

Os primeiros meses da organização são cruciais para que você compreenda os gargalos e trabalhe para diminuir o impacto negativo deles. Você gasta demais com alimentação na rua? Então, pode ser o momento de reduzir essas despesas, ampliando aquelas com alimentação em casa, por exemplo.

Por fim, planejamento diz respeito a ser estratégico. Dessa forma, estipule objetivos, metas e prazos para organizar a vida financeira estável.

3. Invista e planeje a aposentadoria

Quando a gente olha as peças espalhadas de um quebra-cabeças, é difícil imaginar a imagem completa, não é verdade? Mas, depois de passar pela organização e planejamento financeiros, todas as pecinhas começam a se encaixar. É nesse momento que, finalmente, a imagem se forma com clareza.

Desse modo, somente depois de colocar cada ganho e cada gasto em um plano financeiro, é que dá para pensar além. Assim, quando você conseguir uma vida financeira estável, poderá pensar à frente e, então, investir seu dinheiro.

Neste ponto, o equilíbrio financeiro permite que você tenha uma verba especial para que “seu dinheiro faça mais dinheiro”. Organizando as contas atuais, dá para separar valores que vão proporcionar um orçamento futuro mais tranquilo.

É o momento, por exemplo, de pensar e se planejar para a aposentadoria. Ao organizar a vida financeira de hoje, você consegue manter as contas do futuro mais estáveis e seguras.

Ainda que você seja jovem, nunca é cedo demais para pensar em como vai ser quando parar de trabalhar. Nesse sentido, a Onze convida você a conhecer os planos de previdência privada.

Somos a primeira PrevTech do Brasil, uma gestora de investimentos independente, que oferece planos de previdência para o público corporativo.

Com a Onze, você tem uma alocação inteligente de recursos que faz todo o sentido para a empresa que deseja oferecer uma vida financeira estável e de maior tranquilidade para seus colaboradores.